Demasiado humano

Do chá saía uma fumaça aromática cujo prenúncio evidenciava o gosto saboroso que em breve provaria. Acompanhando a bebida, numa vasilha pequenina ao lado da bandeja, estava um minúsculo pedaço de bolo que, apesar de adoçar o paladar, não seria suficiente para matar minha fome. Queria mais dele. Queria um pedaço bem grande e, sei, […]

Leia mais

Encontro dos tempos

Aos meus ouvidos soava uma música francesa levada até mim pelo vento suave que também desalinhava os meus cabelos. Nada entender do idioma que embalava a canção não fazia a menor diferença, pois o som da melodia foi suficiente para conduzir-me à França, que só conheço de nome e dos estudos de história e geografia. […]

Leia mais

Nome roubado

Nossa amizade surgiu de maneira arranjada e teve o início marcado por um evento festivo de rua. Nesse dia, estava muito desejosa de comparecer, mas não quis ousar ir sozinha, como mais tarde vim a fazer tantas vezes. Comentei com uma amiga sobre a vontade de estar no local da festa e a convidei para […]

Leia mais

Pobre cabeça de mulher

Pensou que eu estivesse por demais cheia de modéstia quando o informei não estar à altura de suas grandes questões e discussões. Os homens apresentam um aspecto peculiar ao dirigir-se a alguém do sexo oposto sobre quem consideram apta a tratar de igual para igual a respeito de assuntos sérios ou profundos. Refreio-os, antes que […]

Leia mais

A menor entre os maiores

No primeiro dia de aula das séries do ensino fundamental, a diretora do colégio reservava três cadeiras na primeira fila. Duas, em virtude de parentesco, para os seus netos gêmeos. A terceira, para mim, sob alegação de que era a menorzinha da turma e, caso ficasse sentada ao fundo da sala, não enxergaria o quadro, […]

Leia mais

Amanhã é outro dia

O dia está cinzento ou sou eu? Escancarei a janela do quarto e o vento frio acaricia minhas pernas cansadas enquanto escrevo. O homem bateu a porta e, avexado, desceu os degraus da escada com a mesma pressa de quem vai ao encontro de ópio após uma brevíssima abstinência. Nem mesmo tentei impedi-lo. Seria em […]

Leia mais

Descrição de uma sala

Aqui em casa, os objetos passaram a ter vida. E quem deu vida a eles fui eu. Não soprei as suas narinas tal qual fez o Criador ao vivificar o homem. Fiz outra coisa: dei-lhes destinação específica e significado. Na sala, de onde escrevo nesse momento, predominam as cores amarelo e cinza. O amarelo já […]

Leia mais

Filhos?

Há tempo não nos víamos. Ele, envolvido com suas inúmeras atividades devidamente anotadas e organizadas para dia e hora certos. Eu, imersa em minha desorganização caótica de pessoa que, embora tenha muitas agendas, termina o ano com todas elas em branco. Falta-me dar a permissão a mim mesma para seguir um planejamento, o qual nem […]

Leia mais

Eu, procuradora!

Era manhã chuvosa e um pouco fria em que acordara cedo para me aprontar o melhor que pude com as máscaras exteriores que davam a mim outros ares: salto alto, vestido preto, casaco preto, cabelos escovados, maquiagem suave, lábios escuros. Devidamente montada, como dizem as drag quens, cheguei à empresa, onde pegaria alguns processos, os […]

Leia mais

O ovo e a galinha (A mulher como instrumento para a continuação da espécie)

O conto de Clarice Lispector, intitulado Atualidade do ovo e da galinha, continua sendo um de seus textos mais enigmáticos, quiçá o mais. Sobre ele, a própria escritora declarou, numa entrevista para a TV Cultura, que não o entendia muito bem. Também sobre ele, debrucei-me por alguns dias. Li, reli, interpretei, reinterpretei. Estava disposta a […]

Leia mais