Filhos?

Há tempo não nos víamos. Ele, envolvido com suas inúmeras atividades devidamente anotadas e organizadas para dia e hora certos. Eu, imersa em minha desorganização caótica de pessoa que, embora tenha muitas agendas, termina o ano com todas elas em branco. Falta-me dar a permissão a mim mesma para seguir um planejamento, o qual nem ouso registrar para não ter que lidar com a obrigação de segui-lo. Recuso os controles com veemência e até hoje não consegui entender aqueles que colocam voluntariamente um aparelho no pulso que lhes diz: é hora de movimentar, é hora de tomar água, você só deu cem passos hoje…

Mesmo sem ter anotado na agenda do dia, eu estava realizando uma atividade muito séria quando o telefone tocou. Era um amigo que gosto muito, no entanto não nos falávamos por um longo período. Queria saber se eu estava bem, quais as novidades quanto às minhas leituras e à escrita, quanto ao meu trabalho e as demais ocupações. Informei-lhe conforme perguntado e eis que veio a surpresa:

E quanto aos filhos, Ana? – assim mesmo, na lata.

Gaguejei um pouco. Olhei em volta da mesa à procura de minha agenda para me orientar. Não tinha nada anotado, apesar de já estarmos no mês de dezembro. Então pensei: filhos? Como assim? Eu não estou pensando em filhos. Não tenho tempo para fazê-los, não tenho tempo para tê-los. Meu amigo deve ter pronunciado equivocadamente a palavra ou então entendi errado.

Cílios, milhos, idílio,? Ah não, já sei. Os quilos. Deve ter sido quilos, porque da última vez que nos encontramos me lembro de ter comentado sobre dieta, malhação e outras coisas que faço para tentar manter a forma.

Então, eu estou com cinquenta e três quilos, Nando – respondi.

Eu perguntei sobre filhos, Ana. Quando pensa em tê-los?

Espera aí, eu estou com trinta e dois anos. Não, ele não está insinuando que estou velha e também não me lembro de ter lhe falado alguma coisa a respeito.

Eu não penso nisso – enfim respondi.

Ele: não está na hora de pensar?

Não sei se está na hora. Mas o que você acha sobre eu não pensar a respeito? – devolvi-lhe a pergunta.

Ele: preciso saber sua idade e a idade do seu marido para fazer os meus cálculos.

Informei-lhe os dados solicitados e ele disse que ligaria mais tarde para me dar a resposta. Ligou. Eu não atendi e nem lhe retornei.

É cada uma que me aparece. Eu hein!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s