Desejo de amor

O espanto provinha da sabedoria de quem sente; ainda que quisesse não poderia voltar atrás, pois o desejo conduzira naturalmente os passos. Desejo de amor. Outros foram os tempos em que experimentava o gosto bom de ter. De quando saía às cegas ao encontro daquilo que nem precisava procurar porque sempre achava. Mas tanto havia […]

Leia mais

Fatal destino

Tantas vezes aquele acontecimento lhe vinha à cabeça, invadia sem prévio aviso. Como flashes de instantes, sorrateiramente penetrava por entre frestas não fechadas pelo tempo que nem sempre dá conta de tudo. Quando menos esperava aí mesmo é que surgia com a força estranha do oculto. Uma vaga lembrança perdida que chegava a se perguntar […]

Leia mais

FIM

É que não seria apenas por um ato que as coisas morreriam lá dentro. Existia o processo a ser respeitado para que, chegado ao fim, não houvessem resquícios de sentimentos não diluídos. Também não poderia afastar-se de vez a julgar por algo isolado, esporádico, movido pela fraqueza de quem, por não ter do que acusar, […]

Leia mais

a sabedoria dos ruins

O conto “Os desastres de Sofia” é um dos textos de Clarice Lispector que mais me impressiona. Após incontáveis leituras, sem, no entanto, vislumbrar deixar de relê-lo sempre que meu íntimo desejar, pareço a própria Sofia atônita diante de um homem que se revela: “Mas sei que vi. Vi tão fundo quanto numa boca, de […]

Leia mais

A água que lhe sai dos olhos escorre pelo corpo misturada com a torrente jorrada do chuveiro. Chora como se dentro dela houvesse uma fonte interminável de dor vinda de tempos longínquos que ultrapassam muito o tempo de sua vida. Sonda os motivos nas profundezas para ir além do que sabe. “É porque sou assim… […]

Leia mais

Mãos vazias

Na noite anterior, minha mãe relembrou-me o nosso compromisso do dia seguinte: “Filha, não se esqueça, o corpo chega às 9.” À hora marcada nos dirigimos ao cemitério onde seria enterrado um tio-avô que, quando vivo, pedira para descansar eternamente na mesma cidade onde repousava os pais e demais irmãos mortos. Ainda não conhecia a […]

Leia mais

O peso da luz

A solidão permeia toda literatura de Clarice Lispector. Percebe-se a presença desse tema nos contos, nas crônicas, nas cartas, sobretudo nos romances. O primeiro deles “Perto do Coração Selvagem” traz Joana, a mulher que experimenta a solidão já na infância e assim transcorre a vida, mesmo no período em que permanece casada com Otávio. Também, […]

Leia mais

Sede

A voz atingiu o peito feito flecha. Sangrou. Doeu. Dói. Acusada de um crime que não cometeu mesmo em legítima defesa. Não se defende mais. Fechou a porta, apagou as luzes, sentiu tudo outra vez, não adormeceu. Não chorou. Olhos secos. Boca seca. Um rio perpassando seu corpo e ela a morrer de sede.

Leia mais

Um dia de cada vez II

Coribe-BA, sexta-feira, 16 de julho de 2021. Desde que cheguei a Coribe, sábado, 10 de julho de 2021, tenho acordado cedo todos os dias. Minha mãe levanta às 5, faz o café, realiza as atividades domésticas rotineiras com a pontualidade e o rigor de muitos anos. Varre o quintal e a frente da casa mesmo […]

Leia mais

um dia de cada vez I

Coribe-Ba, domingo, 11 de julho de 2021. Às 5h30min, acordo com a sonora e alegre voz da minha mãe a me chamar: “Filha”. O frio convidava-me para mais algumas horas sob as cobertas, no entanto, no dia anterior, havia assumido o compromisso de levantar bem cedo para realizarmos uma caminhada de pouco mais de uma […]

Leia mais